quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Costa Cruzeiros oferece comodidade, segurança e acessibilidade aos hóspedes com deficiência


Todos os navios da companhia marítima possuem cabines adaptadas, placas em braile e avisos sonoros nos elevadores
São Paulo, setembro de 2018 - Nesta sexta-feira, 21 de setembro, é celebrado o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, data oficializada em 2005 pela Lei Nº 11.133 para incentivar a inclusão de pessoas deficientes na sociedade. No Brasil, cerca de 45 milhões de cidadãos possuem alguma deficiência, segundo o último censo demográfico realizado pelo IBGE. E, justamente para estimular a acessibilidade e promover viagens de cruzeiros mais democráticas, a Costa Cruzeiros oferece em seus navios estrutura e equipamentos adaptados.
Os equipamentos oferecem comodidade tanto para os hóspedes deficientes quanto para aqueles com mobilidade reduzida. Todos os navios da companhia contam com cabines adaptadas, placas em braile espalhadas por todas as áreas públicas e avisos sonoros nos elevadores. Ambientes externos, como os decks que dão acesso às piscinas e aos bares, possuem rampas, e o embarque e o desembarque são feitos por um elevador exclusivo.
“Temos condições de atender todos os perfis de público com o conforto e comodidade que merecem. Vamos seguir investindo no aprimoramento de serviços mais acessíveis e fazer com que os cruzeiros se tornem uma excelente opção para as férias de todos”, destaca Dario Rustico, diretor de Vendas e Marketing da Costa Cruzeiros para a América do Sul.
Os monitores que trabalham nos cruzeiros marítimos são altamente treinados e capacitados para atender com atenção todos os hóspedes, incluindo as crianças portadoras de deficiência. 
Para que o hóspede tenha acesso a esses serviços, precisa apenas informar quais suas necessidades no momento da reserva. No caso de hóspedes cadeirantes, é necessário indicar o embarque de equipamento próprio a bordo. Hóspedes com deficiência e maiores de 18 anos não possuem nenhum impedimento para embarcar sozinhos.
A temporada 2018/2019 da Costa Cruzeiros na América do Sul terá dois mega navios: Costa Favolosa e Costa Fascinosa. Com mais de 100 mil toneladas e capacidade para receber 3.800 hóspedes, os dois transatlânticos estão escalados para atender e entreter o público da região até o final de março de 2019.
O Costa Favolosa inicia cruzeiros regulares por águas sul-americanas no dia 10 de dezembro de 2018 com embarques da cidade de Santos. O navio visitará os destinos de Salvador, Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Ilhabela, Búzios, Balneário Camboriú, além das requisitadas localidades de Buenos Aires e Montevidéu em viagens de três a oito noites. O último cruzeiro será realizado em 23 de março de 2019.  
O navio Costa Fascinosa, por sua vez, fará roteiros de oito e nove noites pela região do Prata (Buenos Aires e Montevidéu), com embarques do Rio de Janeiro.
Costa Favolosa (com 113.216 t e capacidade para 3.800 passageiros)
Inspirado no universo fantástico de um conto de fadas, o Costa Favolosa lembra um castelo encantado e as obras de arte reproduzem os grandes palácios do mundo. Com capacidade para 3.800 passageiros, o navio reúne o centro de bem-estar Samsara Spa (com academia, termas, piscinas e talassoterapia, salas de tratamento, sauna, banho turco, solarium de raios UVA, cabines e suítes); Cinema 4D, simulador Grand Prix, quatro piscinas, cinco restaurantes, 13 bares, teatro, toboágua, cassino, quadra poliesportiva e espaço para crianças. São ao todo 1.508 cabines.
Costa Fascinosa (com 113.216 t e capacidade para 3.800 passageiros)
Com capacidade para 3.800 hóspedes, o Costa Fascinosa reflete o conceito de navio-destino com inúmeras atrações e atividades a bordo. Baseado nos filmes clássicos, o transatlântico conta com cinema 4D, simulador de Grand Prix, Samsara Spa, quatro piscinas, cinco restaurantes, 13 bares, teatro, Squok Club com piscina infantil com o tema Peppa Pig, toboágua e cassino. 
Sobre a Costa Crociere
A Costa Crociere é a companhia marítima italiana integrante da Carnival Corporation & plc, a maior empresa de cruzeiros do mundo. Há 70 anos a frota da Costa Crociere navega pelo mundo e oferece o melhor do estilo italiano, da hospitalidade a alta gastronomia, fazendo das férias uma experiência única a bordo. As embarcações incluem o que há de mais moderno em diversão, além de oferecer opções para aqueles que desejam relaxar. Possui 14 navios em serviço, a maior frota da Europa.
Além disso, dois navios de última geração serão entregues em 2019 e 2021: eles apresentam um "projeto verde" revolucionário e será conduzido por gás natural liquefeito (GNL), combustível fóssil mais limpo do mundo, o que representa um grande avanço ambiental. A Costa reflete a excelência italiana surpreendendo seus clientes todos os dias com experiências de férias únicas e inesquecíveis graças aos 27.000 associados de Costa em todo o mundo que, por sua vez, trabalham todos os dias para oferecer o melhor da Itália em férias de cruzeiro por meio de 140 itinerários diferentes, 261 destinos e 60 portos de embarque.

Shopping Lar Center apresenta segunda edição da ‘Mostra Lar Center de Arquitetura e Design Universal’


Até 14 de outubro, o Shopping Lar Center realiza a ‘Mostra Lar Center de Arquitetura e Design Universal’. A exposição, montada na praça cultural do empreendimento, promove a inclusão por meio da aplicação de soluções práticas e inovadoras em projetos de arquitetura, design e decoração, tornando os ambientes familiares adequados para o convívio de todos.

O projeto conta com a participação de renomados profissionais, entre arquitetos e designers de interiores, responsáveis pela criação dos ambientes expostos. Especialista em design universal e tecnologia assistiva, o curador do evento, Maycon Fogliene, explica que todos os espaços foram desenvolvidos e ambientados seguindo os princípios do design universal na ampla integração dos cômodos, com foco no usuário anônimo, considerando a segurança, a flexibilidade, o conforto e a estética.

Os visitantes poderão conferir tendências e novidades em produtos e serviços, como a banheira Afetto, da Pretty Jet, desenhada e assinada por Fogliene com enfoque no relaxamento, saúde e bem-estar de quem possui mobilidade reduzida, e a cama de solteiro Pilati Centauro Motorizada, que possibilita a execução de movimentos para elevação de pernas e costas de forma individual ou simultânea.

“O espaço influencia diretamente a qualidade de vida, o bem-estar e a saúde de quem o habita. Por isso, é fundamental que cada detalhe do projeto de um ambiente residencial ou corporativo seja pensado a fim de contemplar a diversidade humana, atendendo a necessidade de todos, independentemente da capacidade física ou idade”, diz Fogliene.

Outros dois ambientes que compõem a mostra simulam garagens e serão montados nos corredores do shopping (piso térreo), onde estarão expostos os novos modelos de carro Chevrolet Spin, que conta com solução Cavenaghi para o transporte do cadeirante na própria cadeira de rodas como passageiro, e o Chevrolet Trailblazer, com o Auto Lift - um produto de tecnologia assistiva usado para armazenar cadeiras de rodas motorizadas de até 100kg no interior dos veículos.

Vale ressaltar que a estrutura da casa é toda sustentável. Para a construção foram usadas placas de drywall, piso laminado e papéis de parede vinílicos. Ao término do evento, todos os materiais passarão por um processo de reciclagem.

Ricardo Afonso, diretor superintendente do Shopping Lar Center, destaca a relevância do evento como forma de disseminar os princípios do design universal. “Estamos muito felizes em promover uma nova edição da ‘Mostra Lar Center de Arquitetura e Design Universal’ e acreditamos que será um grande sucesso”, conclui.

Profissionais - ‘Mostra Lar Center de Arquitetura e Design Universal’:
Ø    Alessandra Canteli – Ambiente: dormitório de solteiro
Ø    Andrea Casmamie – Ambiente: ateliê do artista
Ø    Camila e Carla Elias – Ambientes: sala de jantar e varanda gourmet
Ø    Carolina Danielian – Ambiente: banheiro social
Ø    Elisa Prado e Raquel Barbosa – Ambientes: convívio e relaxamento
Ø    Flavia Rosa Toma – Ambiente: suíte master
Ø    Juliana Zanetti – Ambiente: garagem com Chevrolet Spin
Ø    Leandro Braga – Ambiente: garagem com Chevrolet Trailblazer 
Ø    Melissa Lira e Elaine Alberico – Ambiente: office multiuso
Ø    Michelle de Albuquerque e Cynthia Rolnic – Ambiente: galeria íntima
Ø    Rita Amorim e Gleice Cappellette – Ambiente: cozinha
Ø    Roberta Banqueri – Ambiente: sala de estar com TV
Ø    Saulo Barbosa e Carol Francatto – Ambiente: área de serviço

Serviço
‘Mostra Lar Center de Arquitetura e Design Universal’
Período de visitação: De 15 de setembro a 14 de outubro de 2018
Horário: De segunda-feira a sábado, das 10h às 22h. Domingo e feriado, das 14h às 20h.
Local: Shopping Lar Center
Endereço: Av. Otto Baumgart, 500 - Vila Guilherme – São Paulo/SP
Realização: Shopping Lar Center
Organização: Dolce Salvatore – Comunicação e Marketing
Curadoria: Maycon Fogliene Arquitetura
Patrocinadores: Arco Sinalização Universal, C&C, Cavenaghi, Chevrolet, Matizes, Monlline, Pilar Glass, Vidrologia e Grupo Maptrade

Shopping Lar Center
Inaugurado em 1987, o Shopping Lar Center é referência no universo de arquitetura, design e decoração em São Paulo. O empreendimento reúne desde materiais básicos para reforma e construção até as mais sofisticadas linhas de mobiliário, iluminação e decoração, com peças assinadas por renomados designers de interiores de diferentes países. Em uma ampla área de 51 mil m² estão distribuídas mais de 100 lojas, que trazem as principais tendências do segmento, com um completo e variado mix de produtos. Além das lojas especializadas, o Shopping conta com uma megaloja de artigos esportivos, restaurantes, cafeterias e três salas de cinema com conceito vip, sendo que duas prime e uma com tecnologia XD.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Solução simples garante acessibilidade

Um degrau de 18 centímetros se resolve com rampa móvel
Promover a acessibilidade não é tão difícil. Basta boa vontade e um pequeno investimento. Meus filhos fizeram dois anos e achei que estava na hora de colocá-los na escolinha maternal. Pesquisei sobre as principais escolas do bairro, escolhi quatro e fui até elas para conhecer e fazer orçamentos. Não foi surpresa perceber que poucas escolas tem acessibilidade completa. Na verdade, apenas uma delas tinha acesso a todos os pavimentos e banheiro adaptado para deficientes.
Como acessibilidade total não era fator determinante, afinal eu não precisaria acessar todos os locais da escola, relevei este detalhe e busquei outras características que atendessem nossas necessidades. A principal delas era distância de casa. A escola totalmente acessível era também a mais distante, portanto seria um problema levar todo dia os meninos de carro para a escola. Decidi então pela escola mais próxima, pois seria possível a babá levá-los a pé quando necessário. Porém a escola era também a menos acessível de todas. 
Projeto da rampa, que poderia ser feita de metal ou madeira
Escadas em todos os andares, desníveis para todo lado. Conversei com o gerente de lá e expliquei que precisaria acessar pelo menos o hall principal, pois ali era coberto e é um lugar onde eu poderia participar de reuniões de pais, poderia esperar a saída dos meus filhos e outra atividades. Expliquei que eu trabalho com acessibilidade e faço projetos com base na norma da acessibilidade, determina pela NBR
Rampa pronta, ficou leve e muito bem feita
A escola escolhida foi a Ipê Amarelo, e o projeto foi elaborado com base na NBR9050, utilizando a inclinação de 10%, a rampa deveria ter um metro e oitenta de comprimento, por um metro de largura. Coincidentemente, o gerente da escola é sócio de uma serralheria, e em uma semana providenciaram a rampa móvel, a estrutura foi feita de ferro e o corpo foi feito de madeira, isto garantiu que a rampa ficasse leve, fácil de ser colocada e agora permite a pessoas com mobilidade reduzida acessarem o hall da escola quando necessário. Agradeço ao Allan e à Bete pela disposição em adaptar a escola à minhas necessidades, e agora podem também atender outras pessoas que tenham esta necessidade.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Condomínio das Minas Gerais

Por solicitação de um morador, cuja mãe precisou utilizar cadeira de rodas devido a um problema de saúde, o síndico do Condomínio das Minas Gerais entrou em contato comigo para elaborar um projeto de acessibilidade que permitisse o acesso ao bloco em que o solicitante reside. Foi um projeto desafiador, pois a inclinação do terreno e limitação de espaço exigiu a elaboração de uma solução que contornasse estes problemas sem limitar o estacionamento que fica em frente aos acessos. Vejam as sugestões que demos:
O Condomínio Residencial das Minas Gerais é um condomínio de apartamentos localizado no bairro Camargos, município de Belo Horizonte. É composto por 17 blocos, totalizando 272 apartamentos. 
Locais que foram abordados neste projeto:
- Acessos laterais a um dos blocos de apartamento, sendo:
1) Acesso à direita do bloco, composto por dois lances de escadas, com uma curva em 90 graus entre eles;
 2) Acesso à esquerda do bloco composto por um lance de escadas.
Primeiro lance de escadas do acesso à direita do bloco de apartamentos

1)     Acesso à direita do bloco
O acesso à direita do bloco de apartamentos pode ser feito a partir da rua, por um portão de metal, ou através do estacionamento, por um lance de cinco degraus, seguido de uma rampa inclinada, e em seguida uma outra escada a noventa graus, composta por mais cinco degraus. Em seguida há uma rampa inclinada e uma porta de metal e vidro, conforme foto abaixo.
Segundo lance de escadas
A sugestão é a construção de uma rampa de metal para ser instalada sobre o primeiro lance de escadas e uma rampa de alvenaria, que deve ser construída sobre o espaço livre que existe entre o fim da escada e a porta que dá acesso ao interior do prédio.
Entre o primeiro e o segundo lances de escadas, há uma área livre
Vista da área livre entre as escadas
A rampa de metal deverá ser instalada sobre a escada que sai do estacionamento, fixando com cimento na base de cada barra vertical. A largura da rampa deverá ser a mesma da escada, 1,04 metro. A primeira seção da rampa deverá ter aproximadamente 2,38 metros, até uma curva para a direita, para evitar ocupar uma vaga de estacionamento. A seção seguinte deverá ter aproximadamente 5,00 metros, até o chão, seguindo a inclinação do terreno. Ao longo de toda a rampa deverá ser instalados corrimões com um metro de altura, contando ainda com uma barra intermediária a 0,50 metro de altura, para segurança.
Rampa de metal a ser instalada sobre o primeiro lance de escadas
A rampa terá uma inclinação de 14,6%, que ultrapassa um pouco o limite definido pela NBR 9050, mais ainda assim possibilitará maior praticidade e conforto ao acesso para pessoas com mobilidade reduzida, assim como para carrinhos de bebes. O piso da rampa deverá ser feito de chapa de aço antideslizante, similar às empregadas no assoalho dos ônibus. As medidas da rampa poderão sofrer alteração pelo executor para acompanhar a inclinação do terreno. É importante que o executor confirme as medidas do local.
Vista frontal da rampa
Para superar o segundo lance de escadas, que fica a noventa graus da primeira escada, a sugestão é a construção de uma rampa de alvenaria sobre o terreno que fica entre o final da escada e a rampa que dá acesso à porta. Há um portão de metal na lateral da rampa, que deve ser alargado e rebaixado para acessar a rampa a ser construída.
Rampa de alvenaria a ser construída sobre o terreno entre os dois lances de escada
A rampa deverá ocupar todo o comprimento do terreno até o início da escada onde deverá ser instalada a rampa de metal (Projeto 1), minimizando a inclinação da mesma. De acordo com nossos cálculos, ela ficará com aproximadamente 21% de inclinação. A medida mínima recomendável para a largura de uma rampa é de 120 centímetros, porém, devido a limitação de espaço, assim como na rampa de metal, a largura desta rampa poderá ser de 76 centímetros, já que esta rampa deverá ser utilizada somente com auxílio. Ao longo de toda a rampa deverá ser instalado um corrimão de noventa centímetros de altura, com uma barra de segurança a quarenta e cinco centímetros de altura.
Vista lateral da segunda rampa

2)  Acesso à esquerda do bloco

O acesso à esquerda do bloco também pode ser feito a partir da rua, por um portão de ferro, ou do estacionamento, por uma escada com quatro degraus. A escada dá em um corredor inclinado e no meio dele há uma entrada a noventa graus que direciona a outro corredor que dá acesso ao interior do bloco.
Acesso à esquerda do bloco, pelo estacionamento
A sugestão é construir uma rampa de metal para ser instalada sobre a escada, fixando com cimento na base de cada barra vertical. A largura da rampa deverá ser a mesma da escada, 1,04 metro. A primeira seção da rampa deverá ter aproximadamente 2,53 metros, até uma curva para a direita, para evitar ocupar uma vaga de estacionamento. A seção seguinte deverá ter aproximadamente 4,00 metros, até o chão, seguindo a inclinação do terreno. Ao longo de toda a rampa deverão ser instalados corrimões com um metro de altura, contando ainda com uma barra intermediária a 0,50 metro de altura, para segurança.
Vista lateral da rampa sobre o lance de escadas à esquerda do bloco
A rampa terá uma inclinação de 12,78%, que ultrapassa um pouco o limite definido pela NBR 9050, mais ainda assim possibilitará maior praticidade e conforto ao acesso para pessoas com mobilidade reduzida, assim como para carrinhos de bebes. O piso da rampa deverá ser feito de chapa de aço antideslizante, similar às empregadas no assoalho dos ônibus.
As medidas da rampa poderão sofrer alteração pelo executor para acompanhar a inclinação do terreno.
Vista frontal da rampa

domingo, 13 de março de 2016

Acessibilidade na portaria

Entrada do Condomínio Luxemburgo, que tem dois degraus após a portaria
Um dos primeiros problemas enfrentados por quem sofre uma lesão medular ou outra enfermidade que o deixe em uma cadeira de rodas é o acesso ao prédio em que mora. Muitas vezes, como aconteceu comigo, há dois ou três lances de escada na portaria. A primeira opção para resolver é utilizar sempre a garagem para sair do prédio. Só que vai depender muito da entrada e estrutura desta garagem. Se for plana o suficiente, será possível sair rodando na própria cadeira de rodas. Mas o risco de dar de cara com um carro é alto, portanto vai demandar muito cuidado. Se não for plana, só dá para sair de carro, o que limita muito a saída.
Degraus da portaria para entrar no prédio
A outra alternativa é solicitar ao condomínio para alterar a portaria e garantir a acessibilidade. Muitas vezes isto é tranquilo, tanto do ponto de vista técnico quanto de "convencimento", pois muitas vezes é preciso brigar muito para convencer os outros condôminos a alterar a fachada e comprar a ideia que todos podem sair ganhando com mais acessibilidade. Se o cadeirante for proprietário do imóvel, a tarefa pode ser mais viável, mas se for apenas inquilino... vai ter que gastar gogó para convencer o povo.
Visão geral da portaria
O cliente em questão adquiriu um apartamento em um edifício que não oferecia acessibilidade na portaria, que tinha dois degraus. Era para ser um projeto simples, porém há uma porta de vidro a poucos metros da escada, o que limita o comprimento da rampa, e consequentemente sua inclinação. Felizmente há um pequeno degrau de seis centímetros antes da porta de vidro, o que viabilizou a elaboração do projeto dentro dos limites de inclinação da norma NBR 9050.
Rampa projetada em 3D para a portaria do Condomínio Luxemburgo
Nossa sugestão foi a fabricação de uma rampa de metal que inicia na borda do primeiro degrau e vai até o início do degrau antes da porta de vidro. Desta forma, a inclinação da rampa ficará em 12,59%, pouco acima dos 12,50% recomendados pela norma. Como o cadeirante utiliza cadeira motorizada, não haverá dificuldade para subir ou descer. A largura da rampa será de um metro e vinte e dois centímetros, ocupando quase toda a largura da escada. Não ocupou tudo devido a uma coluna que há ao lado da porta de vidro. O projeto foi aceito pelo condomínio e a rampa foi construída!
Vista de trás da rampa projetada

quarta-feira, 9 de março de 2016

Hotel Fazenda Ville Real

Vista da piscina principal do Hotel Fazenda
Conseguir hotéis adaptados nem sempre é fácil, em se tratando de hotel fazenda, é ainda mais difícil. Mesmo porque estabelecimentos com esta proposta tem abundância de áreas verdes, decoração rústica e calçamento irregular. Mas como em todos os casos, com um pouco de boa vontade e adaptações, é possível melhorar a acessibilidade de um hotel fazenda. Estive no Ville Real, a 77 quilômetros de Belo Horizonte para passar um reveillon com amigos, e tive o prazer de conhecer um dos proprietários naquela ocasião. Escolhemos aquele hotel porque descobri pelo site que tinham quarto adaptado, liguei para a recepção e detalharam do que se tratava. Disseram que o hotel tem várias casinhas juntas onde ficam os quartos, formando uma vila, e que o chão é de pedra fincada, mas seria possível parar o carro bem em frente ao quarto. Na porta há um pequeno degrau, mas iriam providenciar uma rampa de madeira. E as adaptações do quarto eram boas.
De fato pude fazer tudo que prometeram, parei o carro em frente, colocaram uma rampa na entrada e o quarto era bem adaptado, com uma ou outra coisa para melhorar. Só que não dá para sair de carro toda hora, para ir à piscina principal, por exemplo, é melhor ir rodando. E as pedras fincadas atrapalham bastante. Haviam outros pequenos problemas pelo hotel, e em conversa com os proprietários, se interessaram em fazer um projeto para melhorar a acessibilidade.
Entrada do restaurante, com um degrau de 13 cm
Voltei ao hotel posteriormente para fazer a análise completa da acessibilidade e identificar os pontos onde poderíamos implantar melhorias. O restaurante do hotel conta com um degrau na entrada, onde há passagem de veículos, e um degrau para os fundos. Para os dois casos sugerimos a implantação de uma rampa de madeira móvel, de forma a não atrapalhar a passagem de carros na entrada ou descaracterizar a saída dos fundos. A vantagem da rampa móvel de madeira é ser mais leve do que a de metal para ser colocada somente em caso de necessidade.
Rampa sugerida para a entrada do restaurante
A Recepção do hotel fica em um casarão com as características coloniais preservadas, acessível pela frente por uma escada que dá ao segundo andar, inviável a adaptação sem alterar a caracterização.
Acesso à recepção pela área interna
Para o acesso à recepção pela área interna do hotel, sugerimos a colocação de uma rampa móvel feita de madeira ou metal, na lateral da varanda. Esta rampa ficará com inclinação de 11%, suficiente para que um cadeirante utilize sem muito esforço. Não há necessidade de corrimão.
Rampa sugerida para a recepção
O próximo ambiente que avaliamos foi o Salão de Festas e Convenções. O Salão do Hotel é acessado por uma porta grande na frente e por duas entradas atrás. Em nenhuma delas há acessibilidade. Na entrada da frente, há apenas um degrau, mas o pavimento é composto por pedras São Tomé irregulares. tem diversos elementos que conferem um charme retrô, sendo o principal deles um vagão de trem antigo que fica sobre trilhos, que separam o salão de convenções e o palco do salão principal.
Escada para acesso ao salão de festas
Para acessar a parte de baixo há uma escada que corre sobre os trilhos. E foi exatamente aí o maior desafio do projeto. Nós desenvolvemos uma rampa que possa ser soldada à escada, e assim rodar junto com ela por cima dos trilhos.
Sugestão de rampa sobre os trilhos
A inclinação desta rampa ficou um pouco acima da inclinação máxima permitida na lei, portanto foi acrescentada a observação de que ela só deve ser utilizada com acompanhamento.
Para o acesso ao salão de festas a partir da área da piscina, a sugestão é a construção de uma rampa em cimento, conforme detalhado nas simulações abaixo.
Simulação da rampa de cimento na saída do salão de festas
Medidas da rampa de cimento sugerida
Para os banheiros do salão de festas, recomendamos o remanejamento das divisórias internas, de forma que os banheiros destinados as pessoas com deficiência (opostos à pia) tenham 1,20 m de largura e porta de 90 cm.
Degrau na entrada do quarto adaptado
O quarto adaptado do Vila Real tem um degrau de 14 cm na porta, para superar esse obstáculo é necessária a construção de uma rampa móvel em madeira, ou fixa de cimento. A rampa terá uma inclinação de 10%, com as seguintes medidas:
Rampa de madeira sugerida para a entrada do quarto adaptado
Para o banheiro do quarto sugerimos algumas adaptações simples:
          I.   instalação de ducha com chuveirinho,
         II.   instalação de barras de apoio no box e no vaso sanitário,
       III.   alargamento da porta do box e
 IV.   aquisição de uma cadeira de banho com rodas traseiras grandes.
Banheiro do quarto adaptado
Com estas adaptações, o Hotel Fazenda Ville Real oferecerá maior comodidade a cadeirantes e pessoas com locomoção reduzida.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Rampa de acesso à varanda

Degraus para acesso à varanda antes da reforma
O projeto em questão foi demandado por um cadeirante que se mudou para um apartamento cujo acesso para a varanda era feito através de degraus, um internamente e dois na parte externa. A porta foi rebaixada em 15 centímetros, e não pode ser rebaixada mais pois trata-se de uma viga, portanto foi preciso fazer uma rampa interna, para vencer 10 centímetros restantes do degrau, e uma rampa externa, para vencer o desnível de 28 centímetros correspondente aos degraus antes existentes.

Degrau interno para a varanda

Para a rampa interna foi sugerida a utilização de cimento com cobertura de borracha, para melhorar a aderência, e a para a rampa externa foi sugerida a confecção em aço com superfície com ranhuras, também para melhor aderência.
Após o rebaixamento da porta e retirada dos degraus
A rampa interna deveria ter um metro de comprimento, garantindo assim a inclinação de 10%, dentro da norma 9050, que permite até 12,5% para ser superada com conforto, mas o cliente preferiu fazer com setenta centímetros, para não invadir muito o quarto e impedir o posicionamento de uma cama. Assim, a rampa ficaria com 14,3% de inclinação, pouco acima do máximo permitido.
Projeto da rampa de metal para a varanda
A rampa externa foi desenhada com 2,25 metros de comprimento, para que ficasse com 12,45% de inclinação dentro do máximo permitido. Novamente, por decisão do cliente, o comprimento da rampa foi reduzido para 1,50 metro, o que subiu sua inclinação para 18,6%.
Rampa feita dentro das especificações exigidas
Como nossa sugestão foi a instalação de corrimões dos dois lados, o cliente achou suficiente para auxiliar na subida da rampa. O piso da rampa foi desenhado frisado para dar aderência, e o material sugerido foi chapa de chão de ônibus, pelo custo benefício.


Projeto da rampa interna para acesso à varanda
O custo da adaptação foi estimado em seiscentos reais, já considerando a mão de obra. A rampa externa ficou em quatrocentos reais, já instalada, e a rampa interna ficou por duzentos reais, contando com a cobertura emborrachada. O cliente ficou satisfeito.
Resultado final da rampa interna

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Consultoria em Acessibilidade

Percebendo as dificuldades que as pessoas com mobilidade reduzida tem para acessar diversos estabelecimentos públicos e privados nas cidades, resolvemos oferecer um serviço que possibilite adaptar e transformar estes espaços de forma a permitir a todos o acesso sem transtornos ou complicações.
Nossa equipe é composta por:
Alessandro Ribeiro Fernandes - 42 anos, administrador, paraplégico há nove anos e criador do Blog do Cadeirante, onde relata os desafios de um usuário de cadeira de rodas no dia a dia e sugere soluções para superar os inúmeros obstáculos que encontra. Com pós graduação em Gestão Estratégica, já avaliou dezenas de locais públicos ou privados no quesito acessibilidade, sugerindo modificações que foram implantadas em muitos destes lugares. Possui uma visão crítica da acessibilidade do ponto de vista de quem necessita de acesso a todo momento.
Giordana do Rosário Silva - 38 anos, engenheira civil, companheira do Alessandro, tem vasta experiencia em acessibilidade, principalmente no atendimento as legislações. Busca desenvolver projetos compatíveis com a necessidade do usuário e a satisfação do cliente.
Nosso objetivo é avaliar as características de cada local com uma análise criteriosa considerando as dificuldades encontradas por quem precisa de acessibilidade e propor soluções viáveis e inteligentes para garantir o acesso de todos da melhor forma possível.
Exemplo de projeto de acessibilidade elaborado pela Sem Degraus

De acordo com nossa avaliação e a intenção do proprietário, elaboramos um projeto que garanta acessibilidade, propondo a construção de rampas definitivas ou móveis, que garantam segurança para quem for utilizar. Um projeto bem feito considera a altura e irregularidades do terreno, sugere o material mais adequado e determina a inclinação ideal de acordo com as características do imóvel, para garantir segurança e a leveza necessária em uma boa rampa móvel.
Projeto de banheiro adaptado elaborado para uma indústria de grande porte

Portanto, a equipe SEM DEGRAUS faz avaliação e elaboração de projetos para tornar ambientes comerciais ou residenciais acessíveis, seja através da eliminação de barreiras físicas ou cognitivas, isto é amplia as formas de acesso e entendimento das áreas e setores dos estabelecimentos comerciais, permitindo autonomia de uso a uma maior diversidade de cliente!

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Solução simples



Mais um lugar acessível e agradável pra comer: o Benedita Gula da Rua Marília de Dirceu. Não tem banheiro adaptado, mas pra um lanche rápido é ótimo, boa comida e ambiente agradável, com mesas na calçada. E lá há uma solução que resolve 90% das entradas inacessíveis: uma rampa móvel. Não precisa fazer obra, mexer na estrutura ou na fachada do imóvel, basta mandar fazer uma rampa que se encaixe por cima dos degraus e colocá-lá quando necessário. É a mesma estratégia utilizada no Pinguim. Não fica muito caro e atende a quem precisa.
Só que não é só fazer uma rampa de qualquer jeito e achar que tá "quebrando o galho" de quem tá "quebrado". Tem que ter um ângulo bom o suficiente pra pessoa conseguir subir sozinha, sem precisar chamar um guindaste (o ideal é entre 6,25% e 8,33%, de acordo com a ABNT NBR 9050:2004). E tem que encaixar com segurança sobre os degraus, senão o quebrado corre o risco de ficar mais quebrado ainda!

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Rampa móvel com corrimão

Rampa móvel com corrimão

Mais um exemplo de rampa móvel para permitir acesso a cadeirantes aqui em BH. E essa é nota 10: além de ter boa inclinação, tem corrimão, o que permite ao cadeirante se apoiar ou auxiliar na subida puxando com uma das mãos, e ainda ajuda uma pessoa com dificuldade de andar a subir com segurança. A rampa móvel tem a vantagem de não precisar reformar o estabelecimento, tem baixo custo e ainda pode ser retirada em uma necessidade, e na hora de fechar a loja. E o lugar, mesmo com uma porta pequena, ficou facilmente acessível.
A loja em questão é a Saúde Vida produtos médicos, na Rua dos Otoni, 615. Eles vendem cadeiras de rodas, esse dia tinha até umas pessoas escolhendo uma. Bem, um lugar que vende cadeira de rodas tem obrigação de ter acesso, né?